Responsabilidade digital

Os pais e os responsáveis querem que as escolas ajudem os alunos a desenvolver relacionamentos saudáveis com a tecnologia, tornando-se usuários seguros e confiantes do mundo digital. Pesquisas mostram que a inclusão da segurança on-line no currículo escolar é fundamental para as crianças aprenderem a usar as tecnologias de maneira segura e responsável, principalmente se souberem administrar, em vez de evitar, os riscos on-line.

99%

dos professores do Reino Unido acham que a segurança on-line precisa fazer parte do currículo escolar.

Google, 2018

O tempo médio que as crianças norte-americanas de até oito anos gastam com dispositivos móveis diariamente triplicou entre 2013 e 2017.

Common Sense, 2017

59%

dos professores no México consideram que a competência digital e o uso responsável são uma das principais vantagens do uso da tecnologia em sala de aula.

Blink Learning, 2018

Conheça as tendências da educação por país

Da Austrália aos Estados Unidos e aos países nórdicos, veja como a educação está evoluindo em todo o mundo.

Resumo das tendências globais de educação

Saiba quais tendências, atuais e futuras, estão moldando o cenário global da educação.

Veja o relatório global

Resumo das tendências globais de educação

Saiba quais tendências, atuais e futuras, estão moldando o cenário global da educação.

Veja o relatório global

O que dizem os especialistas

Responsabilidade digital

Entrevista com Nastaran Jafari

Consultor de educação internacional independente

Nastaran Jafari

A responsabilidade digital é um tema cada vez mais importante nos ensinos fundamental e médio. Como você vê a evolução disso nos próximos 10 anos?

Em Vitória, na Austrália, acredito que algumas áreas principais avançarão nesse sentido nos próximos dez anos. Por exemplo, é essencial ensinar os alunos a usar as tecnologias de maneira segura, responsável e ética nessa fase. Como eles estão cada vez mais expostos à aprendizagem e às tecnologias no mundo digital, devem usá-las com segurança e responsabilidade para assumir as consequências dos próprios atos ou comportamentos inadequados.

Ainda temos um longo caminho pela frente, mas vejo que a responsabilidade digital está evoluindo ao conectar alunos de origens diversas e facilitando o entendimento cultural, social e inclusivo. Poderemos discutir mais a fundo questões como o meio ambiente, a igualdade de gênero, virtudes e valores e o uso das tecnologias à serviço da comunidade e da ajuda humanitária.

Na próxima década, acredito que a acessibilidade será uma parte importante desse assunto. Isso significa responsabilidade digital inclusiva, ou seja, que todos os alunos, não importa a condição socioeconômica, o gênero e a capacidade física, tenham acesso às tecnologias digitais.

Nos países em desenvolvimento, isso também pode ser uma forma de ajudar crianças separadas das famílias e marginalizadas, permitindo que elas tenham acesso à educação e reduzindo as barreiras com a mesma pedagogia. Por exemplo, as crianças em zonas de guerra podem terminar os ensinos fundamental e médio nacional ou internacional usando tecnologias. Também podemos incluir disciplinas específicas e relevantes, como educação para a paz, apoio psicossocial, tratamento de água e saneamento, que são mais importantes em ambientes de assistência humanitária e em desenvolvimento.

Como saber se as escolas estão ensinando a responsabilidade digital da melhor forma possível? E o que seria o oposto disso?

O ensino da responsabilidade digital é o melhor possível quando os professores estão cientes e recebem treinamento sobre isso, usam as tecnologias digitais com ética e incentivam o uso seguro e responsável. Eles também precisam mostrar que o mau comportamento terá consequências.

Tenho certeza de que a responsabilidade digital é inclusiva, ou seja, de que nenhuma criança ou jovem pode ter o acesso prejudicado por questões de raça, gênero, sexualidade e condição socioeconômica. O ensino da responsabilidade digital, quando possível, precisa aplicar ou integrar a aprendizagem de valores ou virtudes ao currículo ou à experiência educacional. Por exemplo, é necessário abordar conteúdos como ética, competências para a vida, prática da gentileza e educação para a paz durante as aulas e apoiar disciplinas em que as tecnologias facilitem o serviço comunitário e a ajuda a outras pessoas. Ensinar a cidadania digital e, por sua vez, a responsabilidade, também significa fazer os alunos pensarem no outro, entenderem as próprias responsabilidades com a sociedade e como podem melhorar a vida da comunidade onde vivem.

Descreva cidadania digital em até 10 palavras.

Conexão entre cidadãos globais usando a tecnologia de maneira ética.

Aprenda com colegas do mundo inteiro

Resultados da pesquisa "Future of the Classroom" (O futuro da sala de aula) nos Estados Unidos

Veja os resultados da pesquisa "Future of the Classroom" nos Estados Unidos com a Dra. Karen Correia da Silva e a equipe dela em parceria com o Google for Education.

Assista sob demanda
Responsabilidade digital no século XXI

Participe da discussão sobre a evolução da cidadania digital e da segurança on-line, e como as escolas e os educadores podem preparar os alunos para essas mudanças.

Assista sob demanda
O futuro da sala de aula: resultados da pesquisa

Conheça os insights da equipe de pesquisa que elaborou o relatório global "O futuro da sala de aula" do Google for Education.

Assista sob demanda

Primeiros passos

Conheça as novas tendências da sala de aula

Conheça as principais tendências que influenciam a educação hoje e estão definindo a experiência educacional do futuro.

Agradecemos sua inscrição.

Indique abaixo seus interesses.